09 março 2015

Lua de mel em Foz do Iguaçu. Lado argentino do parque

Em nosso terceiro dia em Foz, fomos conhecer o lado argentino do Parque Nacional do Iguaçu.

Acho que a melhor opção para chegar ao parque é alugar um automóvel, mas como eu e marido não gostamos de dirigir, optamos por contratar os serviços da agência Loumar Turismo, que levou a gente e outras pessoas de ônibus. Para acessar o site da agência, clique aqui


O parque abre diariamente, de 8h as 18h (mas a entrada é até as 16:30). O ingresso para brasileiros custa 200 pesos argentinos* e deve ser pago nesta moeda e em espécie. Cartões de débito e crédito são aceitos no interior do parque, mas não servem para pagamento do ticket de acesso e do estacionamento.   

Da entrada do parque, andamos aproximadamente 700m até a Estação Central, onde podemos pegar o Trem da Selva, que leva à Estação Cataratas; fazer o Sendero Verde, um caminho de 600m que também leva à Estação Cataratas; ou fazer o Sendero Macuco, uma trilha de 3km, auto-guiada, ideal para conhecer a selva, observar as aves e fazer trecking.

Na Estação Cataratas, temos acesso ao circuito superior, ao circuito inferior, ao passeio à Ilha San Martin e à Grande Aventura.

O circuito superior tem 650m, não possui escadas, e permite que se veja as quedas de cima.

Circuito Superior. Créditos: Iguazú Argentina

O circuito inferior tem 1,7km, possui escadas, e possibilita que se veja as quedas de perto.

Circuito Inferior
A ida à Ilha San Martin é feita através de lanchas, dura umas duas horas e fica condicionada à altura do rio.

Ilha San Martin. Créditos: Panoramio

A Grande Aventura é o Macuco Safari argentino, um passeio de barco que vai até as cataratas e passa por baixo de duas quedas. O passeio é muito bom! Permite tirar fotos lindas e tomar um banho delicioso. O nosso barco passou duas vezes embaixo da primeira queda, sob a qual não conseguimos enxergar nada, e depois parou embaixo da segunda queda, possibilitando que sentíssemos a água caindo sobre nós e ao mesmo tempo víssemos o salto que estava nos banhando. Foi uma experiência maravilhosa!

O macuco argentino é melhor que o brasileiro, pois o primeiro custa R$151,00 e passa por duas quedas, já o segundo custa R$177,00 e passa por uma única queda.

Não perca seu tempo colocando capa de chuva, pois será inútil! E se estiver de tênis, tire ou leve um chinelo para usar depois, pois a molhadeira é geral.

Navegando no rio

Chegando às quedas




Minutos antes do banho

Outra atração do parque é a Garganta do Diabo, que é muito mais bonita que a queda do lado brasileiro que leva o mesmo nome. Para chegar até lá, é necessário pegar o Trem da Selva que vai da Estação Cataratas até a Estação Garganta do Diabo e caminhar sobre uma passarela de aproximadamente 2km. O percurso é cansativo, mas vale à pena. A força das quedas e o barulho das águas é hipnotizante. Dá vontade de passar o dia inteiro ali olhando aquela beleza.




O parque possui outros passeios, como o Safari na Selva (passeio pela selva em veículos 4x4), o Safari na Cascata (passeio pela selva com visita ao salto Arrechea), o Passeio Ecológico (passeio em botes a remo) e o Passeio da Lua Cheia (passeio até a Garganta do Diabo em dias de lua cheia). Há também restaurantes e um Hotel Sheraton. 

O lado argentino é lindo, mas infelizmente, não tem infraestrutura e é desorganizado, o Trem da Selva é lento e demora para chegar às estações, estas por sua vez tem poucos bancos e não são ventiladas. Como o parque estava cheio, enfrentamos filas intermináveis que tornaram o passeio extremamente cansativo. Não fosse isso, teríamos voltado no dia seguinte para fazer outros passeios.

Semana que vem vou falar sobre o hotel, restaurantes, transporte etc.

Beijos e uma ótima semana,

Silvia Tanes

*Valor cobrado em fevereiro/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para mim :)

Silvia Tanes - Decoradora de Eventos ©| Desenvolvido por Heart Ideas – soluções criativas.